quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

O dia em que Vancouver ficou branco

Todos os dias, quando levanto da cama, abro a cortina para clarear o quarto. Mas no dia 15 de Dezembro esta rotina acabou me proporcionando um susto enorme (vejam na primeira foto). O verde da grama, o vermelho do telhado, as cores dos carros, tudo se transformou em branco.

Neste dia pareci aqueles turistas bobos que tiram fotos até de quarto de hotel durante suas viagens. Meu encantamento pela neve me tentava a tirar fotografias de qualquer praça, rua, supermercado, Sky Train (como é chamado o metrô aqui), Mc Donald's, ponto de ônibus, enfim, tudo que tivesse envolvido com neve.

Meu hostfather, Larry, me contou que normalmente Vancouver fica com neve por no máximo uma semana, e que com apenas alguns dias de chuva ela derrete. Então, planejei aproveitar este curto tempo intensamente, só não esperava pelo tal dos recordes.

Em pleno Aquecimento Global, havia mais de 40 anos que Canadá não fazia tanto frio. A neve em Vancouver permaneceu exatos 34 dias (recorde de mais de 4 décadas), e sua altura chegou a ultrapassar os 40 centímetros, a maior registrada na cidade em todos os tempos.

Conclusão, não aguentava mais essa tal da neve. Vancouver não estava preparada para um inverno deste porte. Em muitas ruas tratores não passavam para limpar a neve, e em muitas ocasiões várias linhas de ônibus eram incapazes de seguir suas rotas por atolarem no monte de gelo. Além disso, andar na calçada era tarefa para poucos. Atravessar a rua então só para profissionais. Tênis encharcados se tornaram constantes. Assim como os tombos espetaculares.

Acho que de tanto desejar neve, meu pedido foi atendido ao extremo. Achava um barato ver a cidade toda branquinha. Agora, não suporto mais aquele monte de gelo que atrasa nossas vidas. Viva a grama! Viva o cimento!















E viva o blog, que não morreu!

Um comentário:

Pedro disse...

Parece uma cidade fantasma. Tudo tão cinza...