sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Saudade

Vocês já devem saber que a palavra saudade não tem tradução para nenhuma língua do mundo. Um sentimento 100% português. Talvez então, por eu ser brasileiro, esteja sofrendo um pouco deste mal.

Apesar de estar adorando Vancouver, não vejo a hora de voltar para o Brasil. Já está me enchendo um pouco a paciência o frio, que às vezes fica abaixo de zero, e o fato de escurecer às 5 da tarde. Bons tempos quando o pôr-do-sol começava só às 8 horas da noite e a temperatura ficava em torno dos 20 ºC.

Mas não pensem que as saudades são apenas em relação à família ou aos amigos. Isso é óbvio. Apesar de sentir muita falta deles, gostaria de destacar os pequenos detalhes do Brasil que só distante passei a valorizá-los.

Sinto falta da minha cama, meu cachorro, Paissandú, PUC, O Globo, Globo, Sportv, Sol, calor, água de coco, Matte Leão, suco natural e por aí vai sem parar...

Se entrarmos no assunto comida, a lista dobra! São as churrascarias brasileiras, picanha, coração, lingüiça, quibe, pão de queijo, pão francês fresquinho, joelho, biscoito Passatempo, pastel (nossa, não sabia que era tão dependente de pastel), folhado, bolo da Sueli, HUMMM.

Aliás, quem diria? Em plena América do Norte, até fast-food brasileiro me faz falta. Ainda não encontrei nenhum milkshake de Ovomaltine que chegue aos pés do Bob’s. E o pior: o Mc Donalds canadense não tem cheddar!

Mas sentir saudades não significa lamentar. Tento aproveitar cada minuto em Vancouver, porque esta experiência única na minha vida com certeza me deixará boas lembranças e, conseqüentemente, saudades. Como a minha hostfamily, amigos de vários países, calçadas limpas, ruas sem trânsito, ônibus quase vazios, waffles cobertos de maple syrup, Toblerone a um dólar...

2 comentários:

Pedro Paulo Bastos disse...

Aí tem mortadela? Vc gosta de mortadela, né?
E saudades das legendas dos filmes também ta sentindo??

Pedro Paulo Bastos disse...

Acabaram os posts?